terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Reabriram o Arquivo X !


2002 foi o ano em que nos despedimos das aventuras semanais de Mullder & Scully à procura da verdade, 14 anos e 2 filmes (1998 e 2008) depois a dupla retorna com salários melhores e desafios maiores. 26 de Janeiro de 2016 foram exibidos em sequencia os dois novos episódios inéditos da chamada 10a temporada.  Para quem não sabe, a série original (1993 a 2002) acompanhava os agentes Mulder e Scully tentando resolver os casos (ligados a Ufologia e atividade paranormal) que o FBI considerava sem solução.

Chris Carter, criador e produtor da série está de volta com mais energia e mais ideias, sem entretanto fugir dos temas que transformaram Arquivo X em ícone pop. A rede de TV Fox exibiu os novos episódios após uma maratona de 24h de programação com 22 episódios selecionados pelo próprio criador da série. Enquanto algumas pessoas estão ouvindo falar de Arquivo X pela primeira vez com sua recente superexposição por causa do retorno, outras são fãs de longa data e lamentavam a distancia de Mulder e Scully de novas produções. Os atores que protagonizam esta cruzada, fizeram alguns filmes e séries sem o mesmo êxito de repercussão deste seu trabalho em dupla.



Nestes tempos de resenha sem spoilers é preciso dizer que todos os elementos da série original estão presentes nos episódios de retorno. A conspiração, ETs, o FBI, a atividade paranormal, pessoas dotadas de dons especiais, Mulder, Scully e o Cheffe Skinner — todos os elementos devidamente evoluídos e amadurecidos. Em todos os aspectos Arquivo X evoluiu, mas continua surpreendendo e envolvendo. A verdade ainda está lá fora, a busca por alienígenas e a batalha contra aquelas pessoas poderosas que dominam o mundo da economia, da política internacional, de governos, os quais— nós todos— de vez em quando nos referimos como "eles".

Enquanto David Duchovny (Agente Mulder) parece ter amadurecido bastante, Gillian Anderson (Agente Dana Scully) mostra-se visivelmente rejuvenescida, Mitch Pileggi (o Diretor Skinner) mudou um pouco o visual com a barba e o novo escritório de Mulder (um cenário tão familiar quanto os personagens) ficou mais moderno e, por enquanto, mais organizado que o anterior.














O primeiro episódio trata da grande conspiração devidamente ajustada para os novos tempos de monitoramento eletrônico e velocidade midiática. Abduções, entidades biológicas extraterrenas e gente poderosa no governo manipulando informação são elementos da trama que encontram um Mulder mais maduro e que sabe como esperar o inesperado enquanto Scully exerce sua objetividade para confirmar cada evidência. O episódio 02 dessa estréia (simultânea com a Fox norte-americana) trás um "monstro da semana" revisitado. Arquivo X sempre foi uma série calcada no suspense, investigação e no sobrenatural com um tratamento mais realista que a grande maioria das produções de temas semelhantes, deste modo um garoto com poderes insetóides, um adolescente para-raios-humano, um homem-platelminto ou um homem com capacidade elástica geralmente rendiam abordagens mais naturalistas que românticas. Seguindo esta tradição o segundo episódio desta nova temporada apresenta novos personagens com habilidades que são vistos mais como ameaças do que dons.



Ainda é cedo para avaliações maiores, levando em conta que a mitologia da série se amplia a cada produção, mesmo assim foi mostrado o suficiente para que um novo público possa se reunir à legião já existente de eXcers ou apenas aproveitar a companhia inteligente e perspicaz do universo criado por Chris Carter.
























http://laboratorioespacial.blogspot.com.br/2013/04/ufos-hqs.html
MAIS:
FOX.com/ The X Files
Arquivo X: Episódios Essenciais
Arquivo X (Wikipedia)
Os 22 episódios da
Maratona FOX selecionados
por Chris Carter (criador da série)
X-FILES BRASIL

UFO's & HQs

Season10 Episode 01(torrent)

Season 10 Episode 02(torrent)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

As Aventuras do Capitão Próton




Ninguém imaginaria que estreia da série Jornada nas Estrelas a Nova Geração (1987- 1994) seria tão importante para a franquia televisiva e cinematográfica de Jornada nas Estrelas. Além de retomar temas, personagens e raças (e culturas) alienígenas citadas na série original (1966 a 1968) a Nova Geração trouxe elementos que refletiriam no futuro da franquia, ou seja, nos filmes de 1994 (Generations), 1996 (First Contact) , 1998 (Insurrection) e 2002 (Nemesis) e nas séries subsequentes DS9, Voyager e Enterprise.

Um dos elementos importantes introduzidos à partir das primeiras missões da Enterprise-D na data estelar 41025.5 (ano 2364 calendário da Terra) foi o Holodeck, um ambiente da nave que usa hologramas para gerar cenários realísticos e o processo de conversão de energia em matéria que cria objetos físicos à partir dos suprimentos de matéria-prima da nave. Se o teletransporte converte energia em matéria e depois reestrutura a matéria através do feixe de energia, o holodeck utiliza este mesmo princípio para criar objetos, adereços e personagens interativos. Usado para propósitos de pesquisa ou entretenimento é possível visitar ambientes, cenários e interagir com figuras históricas ou fictícias em aventuras quaisquer desde que inseridas no sistema por meio de programação. Numa dessas programações o Alferes Tom Paris (personagem regular da série Star Trek Voyager) recria um seriado de ficção nos moldes dos anos 40: As Aventuras do Capitão Próton.


A holonovela, ou holoromance, criado por Tom Paris aparece nos episódios: Night (season5 Ep01); Thirty Days (season05 Ep09); The Bride of Caotica (season05 Ep12); Shattered (season07 Ep11).
A homenagem de Voyager às primeiras produções Sci-Fi é bem cuidada, do figurino, composição de personagens, cenários, adereços e fundo histórico. O visual, sempre em PB, remete aos serials como O Homem Foguete( The King of the Rocket Men, 1949—o casaco usado pelo Cap Próton é idêntico ao do Rocket Man, incluindo o painel de controle no meio do peito), ou Império Submarino e Zumbis da Estratosfera (Undersea Kingdom, 1936 e Zombies of Stratosphere, 1952 de onde veio o robô usado pelo vilão).

Em Jornada nas Estrelas, As Aventuras do Capitão Próton são pano de fundo para outros acontecimentos, entretanto no episódio A Noiva de Caótica um mau funcionamento no Holodeck põe a USS Voyager em perigo quando alienígenas invadem a nave e parte da tripulação, incluindo a Cap. Jeneway, precisa interagir com os personagens deste universo pulp (para maiores informações busque os episódios listados no fim da matéria). 

Capitão Próton (Espaçonauta primeira casse, protetor da Terra, flagelo da maldade intergalática) é um herói espacial que luta contra a vilania e as forças malignas que planejam conquistar ou destruir a galáxia. A Rainha Arachnia, o Doutor Chaotica, As Gêmeas Amantes do Mal (Demonica & Malicia). Em suas aventuras o herói espacial é auxiliado pelo seu parceito, ás da reportagem, Buster Kicaid e por sua secretária Constance Goodheart.

Tendo surgido no seriado como uma referência a um personagem que nunca existiu, o Capitão Proton acabou tornando-se um romance (do autor Dean Wesley Smith) que pode ser descrito como: a revista pulp que inspirou a Holonovela de Tom Paris. Se os roteiristas e produtores de Jornada nas Estrelas exploraram a Ficção Científica Hard em alguns episódios, nestas referências à Space Opera eles prestaram uma bela homenagem não apenas aos serials, mas a seus roteiristas, diretores, atores, figurinistas e sobretudo aos seus fãs.





MAIS:
Holodeck
Jornada nas Estrelas
Jornada nas Estrelas - A Nova Geração

ST Voyager (Memory-alpha)
ST Voyager no Trek Brasilis 
ST Voyager Guia de episódios
Captain Proton  
Captain Pronton (tvtropes)
Captain Proton: O Livro
Radarmen of the Moon



ST Voyager Seleção de Episódios:

sábado, 2 de janeiro de 2016

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

O DESPERTAR DA FORÇA - Resenha sem Spoilers!



É impossível dissociar as duas lembranças. Eu estava lá quando A Ameaça Fantasma estreou em 1999, e fui da euforia à decepção, alternando alguns momentos de puro deleite. 17 anos depois tenho a oportunidade de acompanhar a estreia de outra trilogia da série Star Wars. Mas desta vez o filme é dirigido por J.J. Abrams, um dos diretores mais talentosos que surgiram em Hollywood nos últimos 20 anos. 

Confesso que eu estava com um pé atrás, apesar da maioria esmagadora de críticas positivas (que li apenas as chamadas), mas depois da primeira meia hora de filme eu já estava convencido de que seria difícil aquele filme não ser fantástico, e ao final da projeção eu entendi o quanto a trilogia prequela (episódios I, II e III) foi mal executada. O Despertar da Força é fantástico, e deve ser assistido mais de uma vez, simples assim.
 
Porém, nem tudo são flores. Como já disse, o filme é excelente, mas bebe tanto da fonte do Episódio IV, lançado no longínquo ano de 1977, que chega a ser um pouco previsível, mas nada que atrapalhe a experiência completa do filme.









O filme tem ação, drama, aventura e humor na dose certa e gira em torno do autoexílio de uma certa personagem chave na trilogia original. Logo na abertura, com as letrinhas flutuantes, nos é revelado que a Aliança Rebelde agora é chamada de Resistência, e o império deu lugar à Nova Ordem, que também está à procura da referida personagem desaparecida. O jogo político, explorado demais na trilogia prequel, fica em segundo plano neste filme, mas está lá para os mais atentos. E apesar das duas organizações serem bem parecidas, a Nova Ordem não é o Império e a Resistência não é a Aliança Rebelde.

E o que dizer de Rey e Finn? Daisy Ridley é simplesmente fantástica, carismática e perfeita como Rey. John Boyega não fica atrás, mostrando que a escolha desses dois jovens foi um grande acerto.


A apresentação das novas personagens é plausível, assim como as ações que as unem. Nada é forçado. Temos Poe, BB8, Finn e Rey, um quarteto carismático unido pelo acaso, bem ao estilo Leia, R2D2, Luke e Solo. Aos poucos, elementos clássicos da trilogia original são introduzidos, como a Millenium Falcon, e uma coisa vai levando naturalmente à outra. Contar mais seria estragar a experiência de assistir a esse belo filme, então vou parar por aqui e deixar que você apreciem o despertar da força no cinema.



Tecnicamente o filme é impecável. Os efeitos visuais estão lá, sempre presentes, mas a construção de cenários e modelos reais de certas personagens em detrimento do uso excessivo de cenários e personagens digitais trouxe a vida de volta a franquia. O despertar da força bebeu da fonte da trilogia original e deixou de lado a overdose de efeitos da trilogia prequela. Os efeitos são um complemento e não o foco.


A trilha é os efeitos sonoros estão fantásticos e contribuem em muito para a imersão durante o filme.
Os sons dos disparos, dos efeitos do sabre de luz durante as lutas, tudo está mais vivo e intenso. E a cargo da trilha sonora está o mesmo John Willians, homem responsável pela trilha sonora dos seis filmes anteriores, e no despertar da força ele acerta em cheio de novo. Há inúmeros “easter eggs” no decorrer do longa, referências à personagens e momentos clássicos do da série, principalmente do episódio IV. Os fãs mais atentos irão se deleitar com as referências, sendo isso um atrativo a mais.

Para concluir, Star Wars: O Despertar da Força é um filme da série Star Wars com a identidade visual e sonora de Star Wars, perdida na trilogia prequel e magistralmente recuperada por JJ Abrams, que fez questão de beber na fonte da trilogia original para trazer de volta a emoção e a magia às aventuras de uma certa galáxia muito distante.


Neste assunto:
Guerra nas Estrelas - O Resumo da Ópera: A origem e a evolução de Star Wars para leigos e fãs com direito a um infográfico irado resumindo a Jornada do Herói, estudo do mitólogo  Joseph Campbel que inspirou George Lucas.
A Guerra de Cada Um: Amigos e colaboradores do Laboratório Espacial dizem o que, para eles, é mais fascinante em Star Wars. E mais um monte de curiosidades que apenas os Jedis poderão ver.


http://laboratorioespacial.blogspot.com.br/2015/11/guerra-nas-estrelas-o-resumo-da-opera.html

http://laboratorioespacial.blogspot.com.br/2015/11/a-guerra-de-cada-um.html




quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Megalista com os mais absurdos (e divertidos) Filmes de Tubarão!



Desde que Steven Spielberg dirigiu o filme Tubarão (1975) as produções envolvendo o "simpático" bichinho não pararam mais. Sempre com belas garotas de biquíni, moços atléticos, policiais e pesquisadores desacreditados, políticos e donos de parques temáticos céticos e amorais. Alguns filmes de Tubarão são envolventes, assustadores, trazem uma trama bem estruturada e personagens interessantes, outros não. Pensando nisto o Laboratório Espacial apresenta aqui uma listinha de filmes que renderão algumas boas risadas se não pelo gosto duvidoso, ao menos pelo caráter absurdo do negócio.

Robo Shark (2015):


Sharktopus vs Whalewolf (2015):


Mega Shark vs Mecha Shark (2014):


Jurassic Shark (2015):


Shark Lake (2015) — Corram tubarões! Alguém chamou o Dolph Lundgreen ! ! !
https://www.youtube.com/watch?v=9ILns1Y8kOU

Zombie Shark (2015) 


Dinoshark (2011) 


Piranha Sharks (2014) 


Ghost Shark (2013)

Sharknado (2013)

Outros títulos curiosos, alguns não são de tubarões, mas são tão absurdos e engraçados quanto. Aqui estão os títulos com link para os trailers. É surpreendente ver quantos desses filmes estão disponíveis (completos) online no youtube. Veja por conta e risco.

Sand Sharks (2011)

Swamp Shark (2011)  

Snow Shark (2014)

Super Shark (2011)


Sharknado 2 (2014)

Sharknado 3 (2015)

Sharknado 4 (2016)

2-Headed Shark Attack ( 2012 - Carmen Electra & Brooke Hogan)

3-Headed Shark Attack (2015 - com Denny Trejo)

Shark Pool (2011)

Sharkman (2005) 

Shark Night 3D (2011)

Megalodon (2002)

Mega Shark vc Kolossus (2014) 

Dinocroc vs Supergator (2010)

Piranhaconda (2011)

Croczilla (2012)

Robocroc (2013)

Shaktopus (2010)

Sharktopus vs Pteracuda (2014)

Megashark vs Crocossaurus (2010)


Pra fechar acrescentamos um vídeo que não é filme de tubarão, mas não deixa de ser uma linda e terna homenagem :)





Absurdos, mas divertidos. E aí? O que achou da nossa MEGALISTA? Gostaria de acrescentar algum título que foi injustamente esquecido, por favor coloque sua preciosa dica no comentário e nossa lista ficará ainda mais completa. O Laboratório Espacial está repleto de pesquisadores buscando novas experiências para compartilhar por aqui. Obrigado pela visita e volte sempre.